Uma intensa programação de atividades vai agitar o Programa Biblioteca Viva nas férias de julho. Vai ter muita leitura, música, circo, brincadeiras, oficinas, feira do livro, clubinho do livro, contação de histórias, teatro, mágica, dança, que vão agradar todos os públicos, das mais diferentes idades, em todas as regiões da cidade de São Paulo.

Confira a programação completa de atividades. Programe-se!

A relação com os endereços das bibliotecas pode ser acessada aqui.

Clubinho do Livro

São as atividades do clubinho:

Oficina de Livro Coletivo

“Pondo cor na Poesia” com a poeta e artista plástica Aline Binns e com a arte educadora, artesã e dançarina Babu Nascimento. As crianças serão convidadas a criar imagens partindo do estímulo da poesia falada, com o intuito de construir juntas um livro de poesia. Podendo ser ilustrações de uma mesma poesia ou mais de uma poesia. Será disponibilizado materiais para técnicas mistas de pintura e colagens de materiais tais como tecidos, papéis, fios coloridos, brilhos e coisas deliciosas pra dar asas a imaginação.

Feira do Livro

Parte do Clubinho do Livro. Traga seu livro velho para doação ou troca. E se você não tem livro pra trazer, passe na feirinha pra ver se tem algum para você levar. Para participar, basta levar livros em bom estado de conservação e trocá-los na base de 1 por 1. Como nosso objetivo é fomentar a literatura, não vamos pegar livros de caráter informativo (didáticos-técnicos-escolares).

Leitura de Livros

O jornalista Camilo Rocha lerá “O Pote Vazio”, sobre um menino que adorava flores e que participa de um concurso para se tornar o sucesso do imperador. Trata-se de uma fábula chinesa que contém uma valiosa lição sobre honestidade e ética. A história é indicada para crianças a partir dos quatro anos.

08/07 – Biblioteca Belmonte, às 14h

15/07 – Biblioteca Gilberto Freyre, às 14h

16/07 – Biblioteca Paulo Setúbal, às 11h

22/07 – Biblioteca Sérgio Buarque de Holanda, às 14h

23/07 – Biblioteca Vinícius de Moraes, às 11h

29/07 – Biblioteca Anne Frank, às 11h

30/07 – Biblioteca Clarice Lispector, às 11h

Música Imigrante

Música Imigrante pretende através do coletivo Sarau dos Imigrantes circular artistas das mais diferentes esferas por todas as bibliotecas mostrando que São Paulo abriga todas as culturas do mundo.

O Sarau dos Imigrantes é um projeto de Web TV criado para divulgar o trabalho de músicos de diversos lugares do mundo que escolheram o Brasil para viver.

Concebido pelo músico e publicitário Luiz Celso Piratininga, pelo produtor cultural Luiz Delfino Cardia e pelo
músico e professor Irajá Menezes, o Sarau buscou inspiração nas ideias de Boaventura Sousa Santos que diz: “Temos o direito a ser iguais quando a diferença nos inferioriza; temos o direito a ser diferentes quando a igualdade nos descaracteriza”. O pensador português acredita que o reconhecimento igualitário das diferenças está entre as premissas para um diálogo intercultural.

Para botar em prática esse encontro de vozes de todo o mundo, ao grupo inicial vieram se juntar Uolli Briotto, que passou a cuidar da produção, João Paulo Nascimento, que concebeu um plano para captar o áudio das apresentações ao vivo, a equipe da Rede PUC e a Nick Filmes que filmam e editam os episódios e ainda as fotógrafas Lígia Gimenes e Daniela Menezes.

Em suas 3 primeiras edições, na Edição Especial da Virada e na MaiFest 2017, o Sarau dos Imigrantes contou com a presença de:

Yannick Delass, do Congo, que apresenta composições próprias em línguas africanas e francês, acompanhando-se ao violão, ou com seu trio formado por músicos brasileiros;

Tambora Trio (Uruguai, Chile e Equador) composto por Luana Baptista, Renata Espoz e Emília Desirè, que cantam a três vozes e se acompanham com tambores, um repertório inteiramente dedicado às mulheres compositoras da América Latina;

Balé Fareta Sidibé, dirigido por Aboubacar Sidibé, da Guiné Conakri e que traz tambores potentíssimos, balafon, djembés para acompanhar cantos e danças que fazem referência à música ritual e coletiva ancestral da África;

Latam Esquad (Bolívia, Peru e Brasil) que é um coletivo formado por De La Paz, Egon MC, Sheko LM, Sujos Clan, Albert Rimas. Latam Esquad significa “Esquadrão latino-américa” e canta rap da melhor qualidade;

O trio feminino Santa Mala, formado pelas bolivianas Abigail, Jehny e Pamela Llanque, representantes do hip hop latino.

Oula Al-Saghir e o grupo CANJA – Música Árabe, que passeia das canções clássicas árabes à poesia da resistência palestina.

Acatum, grupo de vozes e percussão que trabalha com música improvisada e regência feita por sinais. Dirigido pelo brasileiro Gui Augusto, o Acatum reúne artistas da Argentina, Chile, Uruguai, Equador e Brasil.

Nas duas próximas edições o Sarau vai trazer Os Escolhidos, grupo vocal a capela formado por cantores do Congo e de Angola, o R.P. Project, quarteto de jazz instrumental do peruano Renzo Perales, a cantautora chilena Renata Espoz e Jéssica Areias, cantora e compositora vinda de Angola.

08/07 – Biblioteca Milton Santos às 14h

09/07 – Biblioteca José Paulo Paes às 11h

15/07 – Biblioteca Belmonte às 11h

16/07 – Biblioteca Raul Bopp às 11h

22/07 – Biblioteca Anne Frank às 14h

23/07 – Biblioteca Clarice Lispector às 11h

29/07 – Biblioteca Camila Cerqueira César às 14h

30/07 – Biblioteca Ricardo Ramos às 11h

Mel Duarte

No mês de Julho o Programa Biblioteca Viva apresenta Mel Duarte na biblioteca Cora Coralina, dia 15/07 às 14h para um bate-papo sobre sua trajetória na literatura independente e falará sobre seus livros, “Fragmentos Dispersos” (2013) e “Negra Nua Crua” (2016).

Mel Duarte é poeta, slammer e produtora cultural. Faz parte do coletivo “Poetas Ambulantes” e é uma das organizadoras da batalha de poesias voltada para o gênero feminino “Slam das Minas- SP”.

Em 2016 Mel foi destaque no sarau de abertura da FLIP (Feira Literária Internacional de Paraty) e foi a primeira mulher a vencer o Rio Poetry Slam (campeonato internacional de poesia) que acontece dentro da FLUPP (Feira Literária das Periferias) no Rio de Janeiro. Em 2017, foi convidada a representar a literatura brasileira no Festilab Taag, em Luanda, Angola.

Dia 15 de julho às 14h – Biblioteca Cora Coralina

Instrumental Para Ler

O projeto Trilha Para Ler leva até as bibliotecas músicos com repertório instrumental para ocupar o espaço de leitura. Em conjunto com o Municipal nas Bibliotecas o Trilha Para Ler traz músicos com repertório que vai do erudito ao popular. Fazem parte do projeto para o mês de Julho os músicos:

Iara Ungarelli toca Viola da Gamba

Iara Ungarelli apresenta um repertório que transita pelos universos Renascentista, Barroco e Popular Brasileiro, composto de peças para viola da gamba solo e canções, nas quais se acompanha com o instrumento. Na apresentação, a artista canta e toca uma combinação de peças baseada em sua história com a música vocal e com a viola da gamba.

08/07 – Biblioteca Helena Silveira às 10h

08/07 – Biblioteca Prestes Maia às 13h

09/07 – Biblioteca Lenyra Fraccaroli às 11h

15/07 – Biblioteca Anne Frank às 10h

15/07 – Biblioteca Alceu Amoroso Lima às 14h

16/07 – Biblioteca Amadeu Amaral às 10h

29/07 – Biblioteca Paulo Setubal às 10h

29/07 – Biblioteca Paulo Sérgio Duarte Millet às 14h

30/07 – Biblioteca Chácara do Castelo às 13h

Giovanni Matarazzo – Beatles Instrumental

O repertório é composto por músicas do Grupo Britânico com arranjos especialmente elaborados para violão solo. O formato de concerto é didático contando com breve contexto histórico das músicas, gravações e pequenas informações técnicas referentes ao instrumento e arranjos. No repertório Get Back Ticket To Ride, Yellow Submarine , Norwegian Wood e Strawberry Fields Forever, entre outras.

09/07 – Biblioteca Castro Alves às 11h

15/07 – Biblioteca Cassiano Ricardo às 10h

16/07 – Biblioteca Monteiro Lobato às 11h

22/07 – Biblioteca Érico Veríssimo às 14h

23/07 – Biblioteca Affonso Taunay às 11h

30/07 – Biblioteca Cora Coralina às 11h

Ricardo Valverde – Jazz e MPB no vibrafone

O percussionista Ricardo Valverde apresenta um repertório que ilustra diversas vertentes da música popular brasileira e da música internacional, além de obras autorais, ao vibrafone. A proposta apresenta a versatilidade do vibrafone, instrumento de percussão com teclas de metal, passando por ritmos como a bossa nova, jazz, samba, baião, e composições autorais.

02/07 – Biblioteca Nuto Sant’Anna às 11h

09/07 – Biblioteca Padre José de Anchieta às 11h

15/07 – Biblioteca Clarice Lispector às 11h

15/07 – Biblioteca Mário Schenberg às 13h

Duo Fryvan – Duo de violões

Formado em 2012 por Fredy Pietz e Ivan Sakavicius, o duo desenvolve um trabalho autoral influenciado por diversos estilos de música erudita e popular com uma identidade brasileira. Já gravou um CD e se apresentou em palcos e projetos ligados à música instrumental em São Paulo. Roma, Veneza, Salzburgo e Praga. O Duo Fryvan representa uma nova geração que dá continuidade e aponta novas direções e possibilidades no caminho aberto por grupos como Duofel, Duo Assad e Trio D’Alma.

08/07 – Biblioteca Jayme Cortez às 15h

09/07 – Biblioteca Alceu Amoroso Lima às 11h

15/07 – Biblioteca Narbal Fontes às 11 h

15/07 – Biblioteca Nuto Sant’Anna às 14h30

16/07 – Biblioteca Prestes Maia às 11h

22/07 – Biblioteca José Paulo Paes às 15h

23/07 – Biblioteca Malba Tahan às 11h

29/07 – Biblioteca Sérgio Buarque de Holanda às 14h30

30/07 – Biblioteca Adelpha Figueiredo às 11h

BRINCANTE

Brincadeiras Africanas
Com Trio Ibaré

O trio Ibaré propõe no encontro evidenciar e potencializar, através do lúdico, a importância que a contribuição cultural Africana trouxe para a formação da cultura brasileira. São apresentadas as brincadeiras Mbube, Mbube (Gana), Terra Mar (Monçambique) e Pegue o Bastão (Egito). Ao final é narrada a história de Abayomi, um tipo de boneca de pano que é símbolo de resistência Africana, e cada participante poderá confeccionar sua Abayomi.

08/07 – Biblioteca Sérgio Buarque de Holanda, às 11h

16/07 – Biblioteca Vicente de Carvalho, às 14h

15/07 – Biblioteca Álvaro Guerra, às 11h

15/07 – Biblioteca Viriato Corrêa, às 14h

16/07 – Biblioteca Vicente Paulo Guimarães, às 11h

22/07 – Biblioteca Castro Alves, às 11h

22/07 – Biblioteca Marcos Rey, às 14h30

23/07 – Biblioteca Raul Bopp, às 11h

29/07 – Biblioteca Helena Silveira, às 11h

29/07 – Biblioteca Paulo Duarte, às 14h

30/07 – Biblioteca Brito Broca, às 11h

CIRCO

Mala de Tralha – A festa do Pedrinho
Com Thiago Dias

Cheio de trapalhadas e bastante interativa, Festa do Pedrinho é um show de palhaço com mágico para toda a família, não deixando morrer essa arte milenar que atravessa gerações trocando experiências com o público.

08/07 – Biblioteca Vicente Paulo Guimarães, às 14h

09/07 – Biblioteca Adelpha Figueiredo, às 11h

Caravana Tapioca
Com Anderson Machado e Giulia Cooper

Fundada em 2010 na cidade do Recife, por Anderson Machado e Giulia Cooper. Ao longo desses anos, a Caravana vem se apresentando em palcos e picadeiros de todo o Brasil, realizando também diversas turnês pelo agreste e sertão nordestino, pesquisando a rua como forma de democratização da arte e formação de plateia, quebrando a rotina das cidades. O grupo fará a apresentação do espetáculo Circo Caravana.

Transportando o público para o universo clássico e imaginário do circo de pulgas, o espetáculo apresenta Maria, a pulga adestrada que chega de paraquedas, canta, faz música com panelas, cospe fogo, doma uma fera, entre outras habilidades nunca antes vistas. Cavaco, o excêntrico domador, faz a costura dos números com música ao vivo, malabarismo, magia e comicidade.

Ao melhor estilo brincante do artista popular, é estabelecido um jogo de interação e improvisação com a plateia, que participa do espetáculo até o final, esperando a incrível pulga ser lançada do canhão para o espaço sideral.

08/07 – Biblioteca Camila Cerqueira César, às 11h

15/07 – Biblioteca Marcos Rey, às 10h30

15/07 – Biblioteca Roberto Santos, às 14h30

16/07 – Biblioteca Milton Santos, às 11h

22/07 – Biblioteca Paulo Duarte, às 11h

23/07 – Chácara do Castelo, às 11h

29/07 – Biblioteca Castro Alves, às 11h

30/07 – Biblioteca Amadeu Amaral, às 11h

Turma do Biribinha – Espetáculo Magia

Em ” Magia”, Teófanes Silveira, o palhaço Biribinha, roteiriza, dirige e atua sozinho no palco, falando sobre um palhaço que usa a magia para fazer um filme “sem elenco e sem dinheiro”. E assim começa o desafio.

Ao longo do caminho Biribinha descobre que é dentro de si, mais precisamente em seu coração, que está a verdadeira fonte da transformação; descobre que o amor, o riso, a fé e as brincadeiras podem levá-lo a uma jornada cheia de surpresas. Partilhando divertidos momentos com o público, este torna-se elenco, o ajudando a vencer este grande desafio.

08/07 – Biblioteca Roberto Santos, às 11h

08/07 – Biblioteca Viriato Corrêa, às 15h

15/07 – Biblioteca Érico Veríssimo, às 11h

15/07 – Biblioteca Padre José de Anchieta, às 14h30

16/07 – Biblioteca Helena Silveira, às 11h

22/07 – Biblioteca Narbal Fontes, às 11h

22/07 – Biblioteca Nuto Sant’Anna, às 14h

23/07 – Biblioteca Gilberto Freyre, às 11h

29/07 – Biblioteca Prefeito Prestes Maia, às 11h

29/07 – Biblioteca Belmonte, às 14h

29/07 – Biblioteca Jayme Cortez, às 15h

DANÇA

Yebo – Gumboot Dance Brasil
Com Danilo Nonato, Lenna Bahule, Munique Mendes, Naruna Costa, Pablo Araripe, Rubens Oliveira, Samira Marana, Silvana de Jesus, Washington Gabriel.

Yebo é o segundo espetáculo do Grupo Gumboot Dance Brasil. Aborda a exploração, tanto das minas como dos sete povos levados para extração do minério, a criação de um dialeto sonoro a partir das batidas nas botas de borracha, a espera das mulheres por seus maridos mineiros durante a temporada de exploração das minas.

22/07 – Biblioteca Brito Broca, às 14h

TEATRO

A Ilha do Tesouro
Com a Cia O que de que

Formada por Fábio Supérbi e Rodrigo Andrade, espetáculo infantil de montagem contemporânea, que permita aos seus criadores explorar e apresentar essa história fascinante e suas personagens singulares. O espetáculo foi criado a partir de uma dramaturgia baseada na ação, característica do texto original e transportado para essa versão. Há piratas, navios, fantasmas, uma ilha e um tesouro e claro, existe o mar, seus perigos e seu encanto.

08/07 – Biblioteca Álvares de Azevedo, às 11h

08/07 – Biblioteca José Mauro de Vasconcelos, às 14h

Historietas e Assombretas
Com Augusto Figliaggi e Elaine Guarani. Roteiro para as Histórias Cia Arte Negus.

O susto e a atração pelo desconhecido é o que move essa sessão de narração de histórias.

Sabe aquela sensação de querer superar temores? De tentar verificar até onde sua coragem realmente vai? De não querer se assustar mas, mesmo assim, pedir para o avô ou avó contar aquele causo assombrado? É pautada nessas sensações que surgiu a vontade de elaborar uma apresentação que intenta provocar o multifacetado assombro. A classificação é de seis anos.

08/07 – Biblioteca Afonso Schmidt, às 11h

08/07 – Biblioteca Narbal Fontes, às 14h

15/07 – Biblioteca Brito Broca, às 11h

15/07 – Biblioteca José Mauro de Vasconcelos, às 14h

16/07 – Biblioteca Thales Castanho de Andrade, às 11h

22/07 – Biblioteca Amadeu Amaral, às 11h

22/07 – Biblioteca Belmonte, às 14h

23/07 – Biblioteca Castro Alves, às 11h

29/07 – Biblioteca Nuto Sant’Anna, às 11h

29/07 – Biblioteca Sylvia Orthof, às 14h

30/07 – Biblioteca Malba Tahan, às 11h

O Criador de Porcos
Com grupo Canta História

Uma princesa muito bela, porém fútil, rejeita todos os príncipes que querem se casar com ela. Mas um deles não desiste facilmente: se disfarça de criador de porcos do castelo para ficar próximo da princesa e tentar conquistá-la. Um conto de Hans Christian Andersen apresentado pelo “Canta História” de forma muito divertida.

08/07 – Biblioteca Raul Bopp, às 11h

15/07 – Biblioteca José Paulo Paes, às 14h

16/07 – Biblioteca Jovina Rocha Álvares Pessoa, às 11h

O Sapo e o Vagalume: Uma Amizade Improvável
Com Bruno Soares, Yannick Iksvaarzen e Angélica Müller

“O Sapo e o Vagalume: Uma Amizade Improvável” é uma peça teatral voltada para o público infantil, que aborda a construção da amizade além das diferenças, e surge a partir da necessidade de falar sobre a união, tendo como foco a mudança de mentalidade no que se refere a miscigenação. Dentre as informações trocadas no decorrer da trama, evidencia-se a necessidade da aceitação e bom relacionamento independente das diferenças, sejam de caráter físico, racial, e outros. Com seu caráter participativo, as crianças do público receberão adereços e serão convidadas a interagir com o ambiente em que se passa a história.

08/07 – Biblbioteca Affonso Taunay, às 11h

08/07 – Biblioteca Gilberto Freyre, às 14h

15/07 – Biblioteca Raimundo Menezes, às 11h

19/07 – Biblioteca Cora Coralina, às 11h

19/07 – Biblioteca Jovina Rocha Álvares Pessoa, às 14h

22/07 – Biblioteca Rubens Borba Alves de Moraes, às 11h

23/07 – Biblioteca Cassiano Ricardo, às 11h

29/07 – Biblioteca Álvares de Azevedo, às 11h

30/07 – Biblioteca Aureliano Leite, às 11h

OFICINAS

Introdução ao Teatro, Memória e Território
Com Lucas Vitorino

A oficina “Introdução ao Teatro, Memória e Território”, ministrada por Lucas Vitorino (do Grupo Pandora de Teatro), tem como objetivo proporcionar a vivência no processo de criação teatral, visando explorar a potencialidade artística dos participantes e a apresentação dos caminhos processuais desenvolvidos pelo Grupo Pandora de Teatro, coletivo artístico fundado em 2004 sediado no bairro de Perus. Sob o ponto de vista metodológico, serão trabalhados depoimentos pessoais, memórias e pesquisa histórica de fatos marcantes na historia dos bairros onde estão localizadas as bibliotecas que receberão a atividade, com o intuito de desenvolver um experimento cênico com os participantes.

08/07 – Biblioteca Malba Tahan, às 14h

15/07 – Biblioteca Jamil Almansur Haddad, às 11h

15/07 – Biblioteca Vinícius de Moraes, às 14h

16/07 – Biblioteca Sérgio Buarque de Holanda, às 11h

23/07 – Biblioteca Lenyra Fraccaroli, às 11h

29/07 – Biblioteca Padre José de Anchieta, às 11h

29/07 – Biblioteca Érico Veríssimo, às 14h

30/07 – Biblioteca Vicente Paulo Guimarães, às 11h

Pequeno Cidadão: Vídeo + Música + Poesia
Com Taciana Barros e Natalia Barros

A proposta envolve leitura de trechos dos livros do Pequeno Cidadão, leitura de pequenas prosas poéticas e poemas infantis realizadas pelos presentes, inspirados nos 100 anos de amizade dos modernistas Oswald e Mario de Andrade. Então, a partir do material criado pelo grupo, uma nova canção surgirá. Para encerrar, todos cantam a nova canção criada.

08/07 – Biblioteca Sylvia Orthof, às 11h

08/07 – Biblioteca Thales Castanho de Andrade, às 14h30

22/07 – Biblioteca Mário Schenberg, às 11h

22/07 – Biblioteca Álvaro Guerra, às 14h30

29/07 – Biblioteca Monteiro Lobato, às 11h

29/07 – Biblioteca Cassiano Ricardo, às 14h30

INTERVENÇÃO ARTÍSTICA

Intervenções Literárias
Com Tom Cardoso e convidados

Quais foram os primeiros livros de cabeceira? O quanto a escola estimulou ou não o exercício da leitura? O quanto o ambiente familiar também foi importante para moldar o futuro leitor? O jornalista e escritor Tom Cardoso convida sempre um outro autor para debates essas e outras questões ligadas à literatura. Para junho, um dos convidados de Tom será o jornalista e escritor Gonçalo Junior, também pesquisador na área de cinema, imprensa, música e histórias em quadrinho.

08/07 – Biblioteca Amadeu Amaral, às 11h

08/07 – Biblioteca Paulo Duarte, às 14h

16/07 – Biblioteca Chácara do Castelo, às 11h

Banda Literária
Com a Cia. Farnel de Artes

São intervenções literárias e musicais na forma de curtas entradas intercalando pequenas sessões de música, poesias, histórias, jogos e brincadeiras musicais, trava-línguas, parlendas e adivinhas. Vagando entre o espaço. A Banda Literária apresenta algumas de suas obras espontaneamente enquanto outras são encontradas nos “alforjes de bagagem” e podem ser escolhidas pelo público.

08/07 – Biblioteca Monteiro Lobato, às 14h

Beth Daniel e seu Baú Encantado

Existe algo melhor ou mais emocionante que ouvir uma bela história? Sim! Participar e virar um dos personagens, mergulhando fundo na magia. Beth Daniel, atriz e contadora de histórias, cria uma experiência cênica com o público a partir da contação de narrativas e fábulas sobre as culturas orientais, indígenas e africanas. O aspecto lúdico das histórias apresentam novos lugares e novas culturas, aguçando o imaginário e a sensibilidade dos espectadores.

08/07 – Biblioteca Aureliano Leite, às 11h

08/07 – Biblioteca Lenyra Fraccaroli, às 14h30

15/07 – Biblioteca Ricardo Ramos, às 11h

15/07 – Biblioteca Paulo Sérgio Duarte Milliet, às 14h30

16/07 – Biblioteca Affonso Taunay, às 11h

22/07 – Bibioteca Cora Coralina, às 11h

22/07 – Biblioteca Jamil Almansur Haddad, às 14h30

23/07 – Biblioteca Jovina Rocha Álvares Pessoa, às 11h

29/07 – Biblioteca Milton Santos, às 11h

29/07 – Biblioteca José Paulo Paes, às 14h30

30/07 – Biblioteca Rubens Borba Alves de Moraes, às 11h

Cantigas em Libras
Com O Grupo Êba!

A intervenção consiste em um encontro dividido em três momentos: o grupo inicia com uma história e com jogos de aquecimento corporal, relacionados às cantigas tradicionais. Em seguida, junto com os participantes, selecionam as cantigas que gostariam de trabalhar. A partir disso, ensinam os sinais e destrinchar as possibilidades de tradução da letra para encontrar uma melhor forma de se brincar a cantiga em Língua de Sinais. O último momento da oficina é de brincadeiras práticas com as traduções que foram criadas.

22/07 – Biblioteca Paulo Sérgio Duarte Milliet, às 10h30

22/07 – Biblioteca Ricardo Ramos, às 14h30

23/07 – Biblioteca Paulo Setúbal, às 11h

29/07 – Biblioteca Affonso Taunay, às 10h30

29/07 – Biblioteca Lenyra Faccaroli, às 14h

30/07 – Biblioteca Pedro Nava, às 11h

MÚSICA

Choros de Villa-Lobos na Flauta e Viola Caipira
Por Enrique Menezes

Choros de Villa-Lobos executados ao vivo por Flauta, Pífano e Viola Caipira procurando expor algumas das características marcantes do compositor e suas relações tênues entre o popular e o erudito. Como Villa-Lobos utilizou as formas do choro urbano em sua série de composições? Quais foram as explicações dadas pelo próprio compositor para batizar assim sua série?

08/07 – Biblioteca Padre José de Anchieta, às 14h

15/07 – Biblioteca Adelpha Figueiredo, às 14h

16/07 – Biblioteca Camila Cerqueira César, às 11h

30/07 – Biblioteca Marcos Rey, às 11h

Dona Maria
Com Rafaella Nepomuceno

São tantas Marias, tantas Donas e tantas querendo ter. Com seu Sábado na mão e muitos chocalhos nos pés a sua caminhada vai sendo desenhada e cantada. A trilha de sabedoria popular e improvisos vão preenchendo o tempo e tomando conta do ambiente. A Dança, o trupé também é compartilhado com o publico na intenção de se formar uma roda e/ou pares quando o ritmo assim pedir. Aos poucos trazer brincadeiras de roda e danças populares, induzindo o público a participar da brincadeira. Pois somos todos brincantes da cultura popular brasileira. Coco de roda, baianá, ciranda e emboladas são os ritmos e manifestações que compõem o repertório.

08/07 – Biblioteca Clarice Lispector, às 10h30

08/07 – Biblioteca Mário Schenberg, às 14h

15/07 – Biblioteca Rubens Borba Alves de Moraes, às 14h

22/07 – Biblioteca Monteiro Lobato, às 14h

23/07 – Biblioteca Adelpha Figueiredo, às 11h

29/07 – Biblioteca José Mauro de Vasconcelos, às 14h

30/07 – Biblioteca Afonso Schmidt, às 11h

Duo Sax-Faction

O Duo Sax-Faction foi formado para desenvolver o repertório da música brasileira cantada, traduzida para versões instrumentais, nos diálogos entre o saxofone e o piano. A junção da levada rítmica e da harmonização feita pelo piano somada ao toque melodioso do saxofone abre um enorme leque de possibilidades. Temas comuns nas rodas de samba e de violão, como Eu Sou o Samba, Trem das Onze, Janela Lateral, Eu e a Brisa, ganham versões instrumentais intimistas nos diálogos entre o Sax e o Piano.

08/07 – Biblioteca Jovina Rocha Álvares Pessoa, às 14h

15/07 – Biblioteca Sylvia Orthof, às 15h

16/07 – Biblioteca Viriato Corrêa, às 11h

22/07 – Biblioteca José Mauro Vasconcelos, às 14h

23/07 – Biblioteca Helena Silveira, às 11h

29/07 – Biblioteca Raimundo de Menezes, às 14h

30/07 – Biblioteca Narbal Fontes, às 11h

Trio Sincopado
Italo Magno, Raphael Gomes, Sthéfano Reis

Composto por três multi-instrumentistas que se revezam explorando diversas formações e possibilidades usando como suporte Violão, Guitarra, Cavaquinho, Teclas e Percussões em geral. O trio realiza pesquisa sobre as Manifestações Populares Brasileiras como Maracatu de Baque-Virado, Côco de Roda, jongo, executando em seus próprios arranjos obras de compositores renomados como: Baden Powell, Tom Jobim, Edu Lobo, Luiz Gonzaga, Jacob do Bandolim, Waldir Azevedo, Pixinguinha entre outros.

08/07 – Biblioteca Nuto Sant’Anna, às 10h30

08/07 – Biblioteca Pedro Nava, às 14h30

15/07 – Biblioteca Vicente de Carvalho, às 14h

16/07 – Biblioteca Aureliano Leite, às 11h

22/07 – Biblioteca Afonso Schmidt, às 11h

22/07 – Biblioteca Jayme Cortez, às 15h

23/07 – Biblioteca Alceu Amoroso Lima, às 11h

29/07 – Biblioteca Vinícius de Moraes, às 14h

30/07 – Biblioteca Mário Schenberg, às 11h